Assessoria de Imprensa para Startups, PMEs e Franquias

Evolução da Assessoria de Imprensa exige mais transparência

8/jul/2018 8:34:56 / Autor - Michel Bekhor

Michel Bekhor

evolução assessoria de imprensa

Quando a Press Works foi criada, em 2012, a empresa era norteada por um objetivo: oferecer um modelo de assessoria de imprensa que fizesse sentido para um ecossistema de startups, aplicativos, jovens empreendedores e novas tecnologias. Nesse mundo de apostas altas, aparecer e ter destaque na mídia é essencial para a decolagem do negócio. O orçamento apertado, principalmente no começo do empreendimento, pede um serviço de qualidade e que caiba no bolso: essa é a proposta da PW.

Adequar-se a esse cenário de inovação significou inovar também. Na Press Works, isso se traduziu em duas práticas: um modelo de cobrança transparente, com todos os preços revelados/expostos no site, assim como as publicações conquistadas com a divulgação. Apresentar um retrospecto abrangente dos resultados já obtidos possibilita a avaliação e é uma vitrine para que os clientes em potencial possam tirar suas próprias conclusões a respeito da habilidade em emplacar matérias na imprensa.

A lógica por trás desse formato é simples: eliminar a 'caixa-preta' sobre a dinâmica de cobranças e ser transparente em relação às perspectivas de retorno a partir do trabalho realizado. É fato que assessoria de imprensa não é matemática ou ciência e que sempre haverá um toque de arte e imprevisibilidade, mas essa clareza possibilita o vislumbre mais concreto do serviço.


A necessidade de evolução da assessoria de imprensa é também a conclusão de outros profissionais do setor. Veja artigo intitulado "Adapte-se ou seja um dinossauro: extinto" de autoria da Ana Manssour no Blog Todo Mundo Precisa de um RP:

“Recebi um e-mail de uma amiga assustada (“negrito nosso”) encaminhando uma mensagem que recebeu de uma assessoria de imprensa concorrente (ela também profissional de AI, mas freelancer). A tal mensagem apresenta a agência e os serviços que presta, com foco em pequenas empresas, startups e profissionais liberais, já com uma tabela de preço (...) Temos que trabalhar com outra formatação de horas e preços, atividades e responsabilidades, para podermos atender as necessidades desse ótimo segmento de mercado que são as micro e pequenas empresas e o nicho específico das start-ups, que têm o budget estipulado no Plano de Negócio para atividades de “marketing e comunicação”; temos que ter vários pequenos clientes e um ou dois maiores, aprendendo a ganhar um pouco com cada e não sonhando com ganhar muito de um ou dois”

Texto completo em: http://blogrp.todomundorp.com.br/2014/02/adapte-se-ou-seja-um-dinossauro-extinto/


Que fique claro: o modelo tradicional também funciona – afinal, ele é bem-estabelecido por uma razão –, mas nem toda empresa tem o orçamento de milhares de reais por mês para dedicar ao relacionamento com jornalistas e formadores de opinião, assim como nem todo empreendimento gera notícias interessantes com certa constância.

Resistência: reação natural, mas apenas quando no começo

Seis anos após a criação da Press Works, mais de 800 clientes atendidos e publicações em grandes veículos que comprovam a eficácia do trabalho, o modelo da PW ainda gera perguntas entre vozes mais conservadoras da área de assessoria de imprensa. São dois os principais questionamentos: 1. dúvidas a respeito da promessa de resultados nos pacotes com garantia de publicações (cláusula de reembolso em caso de não atingimento de inserções mínimas) e 2. a comparação com plataformas de divulgação de publieditoriais.

Vamos responder a estes questionamentos:

  1. Assessoria de Imprensa é uma atividade cujo risco é inerente. O cliente, portanto, está sujeito ao sim e ao não quando contrata o serviço de divulgação. Nos pacotes citados, por uma quantia extra, a Press Works se junta a ele nessa empreitada e batalha para emplacar na mídia. Uma espécie de tudo ou nada: sucesso ou o dinheiro de volta.
  2. Uma publicação assinada pelo jornalista ou veículo tem força e passa credibilidade de peso diferente do que um publieditorial. Basta navegar no site da Press Works para checar os resultados obtidos, em espaço editorial. Até hoje, foram mais de 13 mil inserções em mídias, como Exame, Pequenas Empresas Grandes Negócios, Bom Dia Brasil, Encontro com Fátima Bernardes, Meio & Mensagem, UOL, BBC, Financial Times... os principais veículos de comunicação do Brasil, sejam eles on-line, impresso, rádio ou TV, já repercutiram matérias sobre nossos clientes

 VER CASES DE SUCESSO

Mas será que estas dúvidas fazem sentido? Afinal, uma simples navegada no nosso site seria capaz de respondê-las de forma contundente. Ou será apenas um susto ou receio de alguns colegas frente ao novo?

Para nós, isso parece fazer parte de uma espécie de ‘terapia coletiva’ pelo qual passa qualquer mercado durante épocas de mudança em modelos de negócio. Não há segredos na Press Works: aqui todo o processo é transparente, claro e, portanto, mais sujeito a críticas. Tudo bem. Topamos encará-las, por que acreditamos que a evolução da assessoria de imprensa como atividade depende de uma maior abertura de informações para os clientes. 

Topics: assessoria de imprensa para startups e pmes

Michel Bekhor

Escrito por: Michel Bekhor

Michel Bekhor é jornalista e fundador da assessoria de imprensa para startups Press Works (www.pressworks.com.br). Já trabalhou em empresas como SAP, Oliver Wyman e A.T. Kearney, e na startup AlôHelp. Formado em Administração pela Fundação Getúlio Vargas, em Marketing pela University of New South Wales e certificado em Assessoria de Imprensa pelo Senac.